Math

31 anos, artista visual de alma brasiliense, nascido no Piauí; criando conteúdo para a internet há 9 anos e ajudando pessoas a transformarem vivências em pequenas experiências e instantes de cor, brilho e amor.

@blogdomath

FESTA PRINCESAS: CLARINHA FAZ 4

 Bora terminar a semana falando de coisa linda?
No final do ano passado, a Clarinha (lembra da festa do sorvete e da festa botânica?) fez quatro aninhos e à convite da Paloma, mãe da aniversariante e minha amiga, fiz a decoração da festa do aniversário mais uma vez.

Comecei sem saber muito bem onde poderíamos chegar e o resultado é tão mágico que sinto quentinho no coração só de lembrar.
Dessa vez, o desafio era entregar uma festa de tema figurativo, com personagens, já que a Clara estava chegando na idade onde as crianças começam a definir como querem suas festinhas e, além de chegar a um resultado que a criança ame, deixar a mãe igualmente satisfeita também faz parte da missão.
São demandas diferentes que se unem no mesmo desafio, já que todo mundo quer apenas um momento mágico, né...
Buscar referências para temas já comuns e saturados traz sempre o desafio de pensar fora da caixa e se aventurar em lugares inusitados para trazer novos ares ao que já foi visto incontáveis vezes.

Para a festa da Clara, o ponto de partida era criar uma ambientação para uma história que fugisse das afetações e colocasse a princesa no lugar de uma garota comum e sonhadora, vivendo em 2020 sem as convenções do passado.
Para isso, a primeiras escolha foi substituir rosa por azul como cor principal na cartela de cores, o que já traz um outro olhar para o tema, com vários significados nas entrelinhas, entre elas, a ruptura com a idéia do rosa como "cor de menina" e todo esse discurso que vem na mesma caixinha...

O segundo ponto no processo criativo foi imaginar como seria um castelo construído nos dias de hoje e a designer e arquiteta  iraniana India Mahdavi entrou como referência, pelo seu trabalho que mescla clássico com o moderno e o pop.
A escolha de Mahdavi veio pela conexão entre as curvas e "arcos" em seu trabalho -que subjetivamente me fazem lembrar arcos de castelos antigos- e sua assinatura em projetos para marcas de alto luxo, como Ladurée e Valentino, traçando uma relação com a nobreza de uma forma divertida através do que algumas revistas especializadas em design chamam de neo pop.

O rosa não deixaria de ser parte da festa e veio como cor secundária, direto do Castelo de Craigievar, um castelo pequeno, fofo e cor de rosa que fica em um Condado na Escócia e que inspirou o castelo da Cinderela na Disney.

O filme Maria Antonieta também serviu de inspiração, conectando a estética rococó com o trabalho do artista Will Cotton; essa junção se materializou nos bolos, em alguns dos docinhos da festa e nos lustres de pompom que foram feitos para compor os cantinhos da festa.

Festa de princesa pede fantasias e frufrus e a gente pensou em um camarim com penteadeira, arara, malas para os adereços e uma pessoa para ajudar as crianças na produção de cabelo e maquiagem com itens bem lúdicos.

O cantinho escolhido para o camarim -que funcionou também como photo booth- tinha uma parede revestida com uma textura que não ornava com a festa e fizemos uma cobertura com cortinas de franjas rosé e holográfica, conectando essa parte a outros pequenos objetos furta-cor que faziam parte da decoração.

 Esse cantinho exigiu um pouco de atenção e critério para encontrar equilíbrio entre formas bem enxutas e alguns detalhes com algumas formas e ornamentos mais retrô.
Eu também fiz capas de tule para as crianças usarem durante a festa. Ficaram um amorzinho e acho que rende um bom tutorial aqui, pois é super fácil de fazer... :)

Entre as atividades da festa, oficina de acessórios, com vários estilos de miçangas e pingentes; ficamos surpresos porque esse foi, provavelmente, o cantinho mais badalado durante toda a festa e todo mundo amou sair de lá com um acessório novo feito manualmente durante a festinha. 
A mesa infantil é uma parte que eu adoro pensar e essa foi especial porque eu coloquei em prática uma idéia que tive há algum tempo: criar um cantinho que servisse como um mini buffet, para que as crianças pudessem se servir a vontade durante toda a festa.
Também deu super certo e os pequenos amaram!
Na mesa infantil, um pouco de tudo o que fazia parte do conceito da festa: castelo, princesas, dragões, cavaleiros, brilho e muita delicadeza na execução de cada coisa.
Repara aí que a escolha dos objetos da mesa é sempre contrastante entre o moderno e o antiguinho: pratos super clean, com nada de detalhe sobre papel rendado que fez as vezes de jogo americano, delimitando os lugares.

Um ponto importante é que optamos por usarmos princesas genéricas, trazendo os elementos desse tipo de narrativa, mas fugindo das personagens licenciadas.
Sim, eu tô falando das princesas da Disney: elas estiveram presentes, mas de forma bem sutil, em miniaturas espalhadas pela festa -várias delas na mesinha das crianças.


Usamos o mesmo raciocínio na escolha das fantasias: misturamos adereços genéricos (inclusive as capas que foram feitas à mão) com vestidos das princesas da Disney e todo mundo ficou feliz no final :)

O salão foi dividido entre estação de comidas, doces, bebidas, lembrancinhas e a mesa do bolo, além de mesa para os convidados. Ficou mais ou menos assim:
No cantinho onde os doces ficam disponíveis para os convidados a qualquer momento da festa, usamos uma cômoda, que tem uma vibe meio rococó, dividindo o mesmo espaço com linhas mais contemporâneas, tanto nos móveis menores, de apoio, quanto nos suportes e boleiras.
A gente já tinha uma linha de papelaria linda da Meri Meri, comprada pela mãe da Clarinha, mas eu gosto de inserir sempre algo único, feito especialmente para a festa em questão e desenvolvi ilustrações bem minimalistas com linguagem iconográfica, representando os elementos que amarravam a história: coração (bondade e gentileza), cisne (sonhos), vara de condão (mágica) e o castelo, onde tudo acontece.
As ilustrações viraram papelaria (convite, tags, quadros para sinalização na festa) e comidinha, como os pães de mel da foto aí em cima.
A gente também atacou de florista e fizemos vários arranjos para espalhar pelos cantos.
Nos últimos projetos, a gente tem evitado usar flores porque é uma parte bem trabalhosa (e cara), mas sentimos que o clima de "chá no palácio" só estaria completo com florzinhas...
Junto com os doces, um canto para as comidinhas que ficam sempre à disposição. A gente gosta desse formato pois isso estimula as pessoas a circularem e mantem a festa mais viva e animada, sem aquela tristeza de ver gente que senta e só levanta na hora de ir embora (nada contra, mas circular e interagir numa festa é fundamental, né non?).

Eu sou apaixonado por esse armário aramado branco e usamos ele primordialmente para guardar as sacolas de lembrancinhas e ele exerceu dupla função, servindo também para o armazenar mais docinhos (isso é ótimo, porque dispensa também a necessidade de um canto para estocar tantos doces durante a festa -que geralmente atrapalham o fluxo na cozinha).





 A gente aproveitou pra unir funcionalidade e estética, transformando o armário em uma espécie de pequeno jardim, misturando arranjos, plantinhas e flores de papel em guirlanda e nos toppers, dando mais motivos para não apenas o armário, mas toda essa composição estar ali nesse cantinho, tudo usado como apoio para deixar os convidados mais a vontade e trazer fluidez e organização para a festa.
Na mesa do bolo, a tal base azul da festa ganhou vida através dos arcos azuis serve de base para os elementos da história.
Um dos maiores desafios da festa era representar o castelo de forma literal, que fosse facilmente compreendido pelas crianças (já que a representação conceitual tava ali, no painel de arcos que representam arcos de passagem dos palácios). Encontramos esse castelo de papel desmontável em 3D e eu aproveitei pra dar mais vida iluminando com fairy lights, reforçando as ideias de volume e profundidade.


"Let Them Eat Cake"
A gente pensou em trazer uma vibe Maria Antonieta e o exagero que faz parte da essência do Rococó -e que também inspira o trabalho do artista Will Cotton- nos fez pensar em vários bolos na festa (além dos 3 bolos na mesa e da choquembouche, tínhamos vários outros bolos e cupcakes em tamanhos menores e sabores variados espalhados pela festa), com traços de confeitaria vintage francesa.
Não é por nada, mas foi um acerto incrível.
Eu olho para essa imagem e ainda fico encantado com a beleza dessa combinação de cores e detalhes 🎂

Mini princesas espalhadas pelos cantinhos, inclusive na mesa do bolo
 Eu amo o contrasde de uma princesa de vestido levinho e cheio de brilho com pés no chão durante a festa. Clarinha é uma figurinha que mora no meu coração, viu ♡

Eu amo que a Paloma tem uma mente muito criativa e disruptiva. Uma das ideias mais fofas da festa surgiu de uma das primeiras conversas sobre uma possível festa Princesas, quando ela comentou que adoraria explorar detalhes mais inusitados, tipo os ratinhos da história da Cinderela.
Não deu em outra: os ratinhos vieram e estavam lá, na mesa do bolo, escalando a torre de profiteroles recheados 🐭




 O que eu mais amo ao ver as fotos dessa festa depois de alguns meses é perceber que de uma forma simples, a gente conseguiu criar algo mágico...
A magia não depende de piruetas, bonecos gigantes de isopor ou de pessoas fantasiadas na festa; não que tenha problema nisso, mas eu vejo cada vez mais claramente que o tipo de festa que eu amo fazer se conecta com pessoas que enxergam a vida por uma perspectiva mais simples.
Isso não torna ninguém melhor ou pior que ninguém, mas diz bastante sobre como a gente enxerga a vida e sobre quais são nossas prioridades. E isso é o principal insumo para fazer uma festa que faça sentido para cada família. 
Obrigado, mais uma vez, Paloma, Igor e Clarinha, por mais um projeto que já mora no meu coração.
Dá uma sensação muito boa olhar para as outras festas que fizemos juntos e ver evolução, coesão e cada vez mais amor e cuidado com os detalhes.

Que a coisas voltem logo ao normal para a gente poder festejar de novo e de novo e de novo.

Curtiu a festa? Gostou das ideias?
Compartilhe com as amigas e salve nas suas pastas no Pinterest para se inspirar e usar depois :)

E se, mesmo em meio à Pandemia,  você tiver interesse no meu trabalho e quiser receber uma proposta com os formatos e valores, envie um email para contato@blogdomath.com.br.
Eu estou levemente sobrecarregado com a produção de conteúdo esses dias e a resposta provavelmente vai demorar um pouco, tá?
Mas eu vou adorar papear sobre festas com você!
Bora?

Por fim, mas não menos importante, aquele muito obrigado de coração aos amigos fornecedores das lindezas da festa
Concepção e produção: Matheus Fernandes
Assistente: Carlos Garcez
Mobiliário e acervo: A Garimpeira, Dona Festeira
Fotografia: Alba Apen, Milca e Lara
Bolos e Torre de Profiteroles: Thais Terra
Pirulitos: Mari Doces Criativos
Cookies: Alice Perpétuo
Biscoitos recheados: Carmelitas Doces
Brigadeiros: May Cakes
Macarons: Macarons da Ana
Suco: Sucopira
Pão de Mel: Pão de Mel Cheio de Graça
Balões: Sr. Festa
Oficinas: Aloha

Por hoje, isso é tudo...
Bjs do Math e até a próxima!


Comentários