Chá com frufru é uma coisa bem recente na minha vida: tive acesso a esse universo maravilhoso durante minha viagem a Buenos Aires no começo do ano passado (contei tudo sobre a viagem aqui) e foi amor à primeira vista.
Mas não tô falando de qualquer amor, tô falando de um nível de amor forte tipo ter um Ryan Gosling só pra você; nível hard tipo comprar seu primeiro bule na casa de chá mais linda da cidade e nunca mais parar de comprar louças fofas pra tentar reproduzir em casa a mesma experiência que você viveu no lugar (a verdade é que eu queria comprar o El Ultimo Beso -a casa de chá mais fofa de Buenos Aires- só pra mim com um Ryan Gosling dentro).

Mas o que me arrebatou de verdade nesse contato com o universo do chá nem foi a beleza das louças e afins; o que ganhou meu coração foi o significado por trás de tudo isso: a dedicação e a delicadeza envolvidas na tarefa de criar um momento que seja único para cada pessoa que está vivenciando a experiência.

A experiência em questão vem carregada de detalhes e pequenas sutilezas capazes de eternizar as memórias,  e eu sou apaixonado pela sensação de nostalgia, como já deu pra se notar -o que está sempre ligado a histórias e memórias.

Como vocês já devem ter notado pelo meu feed do instagram, sempre que o clima dá uma amenizada, eu arranjo um tempinho e tiro as louças da cozinha para montar uma mesa de chá bem caprichada e chamo ~as miga~ pra bater papo.

Se você ainda não fez isso em sua casa (o que é totalmente compreensível, afinal, aqui no Brasil temos a cultura do café e não a do chá), recomendo muito e atendendo a pedidos de vocês, fiz um chá bem caprichado e chamei uma amiga especial pra bater papo, já que eu teria que montar uma mesa para fazer as fotos desse post, que tem por objetivo compartilhar dicas de como montar uma mesa bem phyna (mentira, eu nem sei ser phyna, pra começo de conversa!).


O QUE É PRECISO PRA MONTAR UMA MESA DE CHÁ BAPHO?

Vai soar bem óbvio/clichê, mas é uma verdade incontestável: pra fazer um chá inesquecível na sua casa, você só precisa querer, sua bonita!

Nem todo mundo tem as xícaras francesas pintadas a mão mais incríveis do mundo, mas isso não é desculpa pra não fazer.
Aliás, quando eu voltei de Buenos Aires e fiz meu primeiro chazinho em casa, a única coisa que eu tinha era o bule que comprei por lá mesmo; nem xícara de chá tinha, mas eu tava com tanta vontade de recriar aquele clima romântico que servia chá em canequinhas mesmo.

Hoje eu tenho um acervo até considerável de pratinhos, xícaras e afins, mas ainda me faltam várias coisas legais pra montar a mesa dos sonhos, porém, eu nem me desespero e continuo fazendo e curtindo com o que tenho.

E essa é exatamente a primeira dica: seja criativa, kirida! Aproveita o que você tem em casa, se joga e seja feliz.
Aliás, dica pra vida: criatividade vale mais que barras de ouro, que vale mais que dinheiro. E o melhor é que todo mundo tem, as vezes a gente só precisa de estímulos, que é o que eu tô tentando fazer aqui: te estimular a tirar esse popô de Kim Kardashian da cadeira e fazer um chá bem lindão!


A segunda dica está totalmente ligada à primeira: se você tem criatividade, não precisa comprar um jogo de louças baphão pra montar uma mesa bonita, baby!
Aliás, eu sou avesso à conjuntinhos e acho que misturas ousadas e criativas são muito mais charmosas.

Lá no El Ultimo Beso nenhum elemento da mesa era "casadinho" e isso foi o que mais me chamou a atenção. Eu reproduzo a mesma idéia aqui em casa e você pode reproduzir na sua também: se você tem xícaras e pratinhos diferentes em casa, tente fazer combinações diferentes entre eles. Tente juntar uma xícara com pires de outra, por exemplo, e veja a brincadeira ficar mais divertida...

Como eu já disse, não ter xícaras e pratinhos divos não é empecilho para ter momentos de relax com as pessoas que você gosta em casa, mas se você pretende comprar coisas legais para ter um acervo bonito, a mesma dica ainda vale: misture!
Compre xícaras e pratinhos avulsos, pois eles vão te proporcionar uma boa gama de possibilidades de combinações, que eu acho mais interessante do que ter sempre as mesmas louças combinadas da mesma forma sobre a mesa.


Escolha um tema

Mesmo pra montar mesas simples no dia-a-dia é legal ter uma linha de pensamento que funcione como guia.
Quando eu falo de tema, não necessariamente estou falando pra você fazer um chá da Galinha Pintadinha ou do Bonde das Maravilhas, moze. Digo, não precisa ter um personagem.
Seu tema pode ser uma cor ou um elemento visual em particular (formas geométricas, uma flor ou uma fruta, porque não?), mas ter esse filtro ajuda a estabelecer critérios estéticos pra não virar uma grande salada da Regina Casé com Gabi Amarantos e Falcão (eu adoro os três, gente, só pra constar!).

No chá das fotos, por exemplo, resolvi trabalhar com tons pastel e coelhos (porque sou atazanado e não consigo sair disso. 2 beijos), mas poderia ser pink+flamingos, total white, pássaros ou abacaxis...

Escolher um tema não significa que você vai ter que comprar um monte de coisas novas só pra usar naquela ocasião: significa definir que elementos você vai usar para criar o clima pretende para o momento.

Você pode estar com inspirações mais suaves e fazer tudo em tons de lavanda ou se sentir mais apaixonada e montar uma mesa inteira vermelho Nazaré (Tedesco) cheia de rosas vermelhas, mas as duas opções só funcionariam se você tiver definido antes uma guia, pra não ficar perdida.
Tendo definida a atmosfera do chá, vai ser muito mais fácil saber que louças misturar, o que servir, que flores comprar etc.

Crie níveis

Ter variações de altura na mesa faz toda a diferença pra composição não ficar "morna".
Pra criar um jogo com as formas e volumes, você pode usar suportes para doces (daqueles com 3 andares de pratinhos), redomas com base mais alta, caixas, latinhas e o que mais estiver à sua disposição, deixando sempre os mais baixos na frente dos mais altos (que devem ficar no centro da mesa e não devem ser tão altos a ponto de atrapalhar a comunicação visual entre as pessoas).

Mas você pode também improvisar e usar xícaras e bowls em baixo de pratos e pires para trazer essa diferença e criar diferentes níveis na mesa (que é o que eu prefiro fazer. Inclusive, dá pra notar nas fotos, se reparar bem...).


Escolha o chá:

Eu não sou entendedor/mestre no assunto, mas já provei um bocado, então, tenho conhecimento mínimo de causa para dissertar sobre.
E só pra deixar claro: minha opinião, nesse caso, é baseada no meu gosto pessoal, então, minha sugestão é que você também prove até descobrir o que mais lhe agrada.

Meus preferidos são os franceses. Aqui em casa sempre tem caixas e caixas de sabores variados de uma marca chamada Casino, que eu sempre encontro no Pão de Açúcar.
O de baunilha deles é uma delícia, mas eu já tomei tanto que acabei enjoando. Hoje, meu favorito é o de pêssego com cassis que tá em falta no mercado e eu estou em abstinência. Se alguém encontrar e quiser me mandar, pago recompensa, hehehe.

Já comprei alguns ingleses e uns americanos, que são mais fáceis de achar nos mercados aqui do meu bairro (Twinings sempre tem), mas achei eles um pouco mais fortes e eu prefiro a suavidade dos franceses, que criam uma base mais leve para receber o sabor dos doces e acompanhamentos e não se "chocam".

Sobre os brasileiros vendidos em caixinhas nos supermercados, acho que eles deixam a desejar. Na maioria dos casos, o sabor é quase inexistente ou distorcido. Mas já provei alguns artesanais que são simplesmente maravilhosos, então, se você tiver alguma loja ou casa específica de chás na sua cidade, vale a pena experimentar.

Alguns dos que tenho em casa:

1. Doces sonhos da Dr. Oetker. É bem suave e o cheiro é maravilhoso, mas poderia se chamar boa noite, Cinderela. Ele realmente dá sono!
2. A marca Celestial é americana e tem alguns sabores que se salvam. Esse, em particular, eu não curti.
3. Twinings de frutas silvestres: é ok. Já deixei acima minha opinião sobre os chás ingleses...
4. Outro da Dr. Oetker que salvou a pátria. Esse é pra ser colocado no infusor e tem pegada mais artesanal. Ganhamos de presente um kit com 2 sabores: abacaxi com damasco e morango com maracujá, que todo mundo gosta, tanto que já está acabando e o problema é que não encontrei pra comprar em nenhum mercado até hoje.
5. Da linha Leão Fuze, esse é um dos únicos que conseguiu me arrebatar. Comprei totalmente por acaso e ele acabou entrando pro hall dos meus preferidos, na ausência do número 6.
6. Que por sua vez é meu preferido da vida. Ele é da marca francesa Casino e tem um fundo azedinho bem suave, algo meio cítrico que não sei explicar de onde vem. Só sei que me apaixonei profundamente desde a primeira vez...
7. Esse é o de baunilha da Casino que eu citei anteriormente. O cheiro é uma delícia e todo mundo que experimenta dele aqui em casa, gosta... Apesar de ter enjoado um bocado dele, ainda recomendo. Minha única dica é: pega leve, miga. Vai devagar, rs.
8. Chá verde da Casino, que não é muito diferente dos outros chás verdes, rs.
9. Chá verde do chapeleiro da Alice, que minha amiga trouxe pra mim de Nova York. Tem gosto um pouco mais forte que o da Casino.
10. Chá verde Basilur, do Sri Lanka, que comprei apenas pela beleza da caixa, com essa peônia rosé maravilhosa.
É gostoso, Math?
-É chá verde, gente...

 Acompanhamentos

Logicamente, não vou entrar em muitos detalhes aqui, por motivos óbvios: gosto é pessoal e deve ser respeitado, mas vou apresentar algumas sugestões de acompanhamentos que eu gosto.

Algumas coisas são bem óbvias em uma mesa de chá: cupcakes, bolo (prefiro os simples; tortas/bolos recheados -na minha modesta opinião- não combinam muito bem),
scones, cookies, croissants e petit fours, que são aqueles biscoitos importados cobertos com chocolates finos que derretem na boca quando entram em contato com a temperatura do chá.
Socorro, deu tanta água na boca que eu tô me afogando aqui...

Mas, Math, se você gosta tanto de petit four, porque que eu não tô vendo nenhum nas fotos?
Aconteceu que a crise tá tão hard que eu chamei ~as miga~ Kim Kardashian e Paris Hilton pro chazinho aqui em casa e pedi pra elas trazerem da gringa, mas elas disseram que não tinham recebido o cachê do ultimo job e estavam sem grana.
Mentira. Elas não vieram porque são ~tudo falsiane~ mesmo.

*Aquelas loka que viaja na maionese mesmo*

Gente, a verdade é que a crise realmente pesou e os produtos importados estão em falta nos mercados aqui do bairro. Estou digitando de joelhos enquanto faço uma oração pedindo pra essa crise passar logo!

Voltando aos acompanhamentos: é bom ter algo salgado pra compor a mesa, porque sempre dá uma vontadezinha depois de comer tanta coisa doce ao mesmo tempo.
Uma das comidinhas salgadas que eu gosto, nesse caso, é quiche de queijo -que é bem leve e não vai destoar tanto dos outros acompanhamentos.
Mini torradas com um patê especial também vai bem...



elaine bruno
Elaine Bruno (@elainexbb) a linda que me apresentou o melhor bolo de limão da cidade <3

Ajam naturalmente!

Onde comprar louças bonitas?

Math, quero fazer chá e montar uma mesa bem maravida, mas não sei onde comprar louças bem lyndas. Ajuda?
Claro que ajudo!

Um site super legal pra comprar não apenas louças, mas itens de decor pra todos os cômodos da casa já bem conhecido é o Westwing.

Eles entraram em contato comigo falando sobre um novo projeto de parceria entre o site e blogs que criam seus próprios conteúdos de forma orgânica, que consiste em uma junção entre o material da revista Westwing (que tem MUITO conteúdo inspirador) com o desses blogs.

Fiquei feliz de estar entre os blogs convidados e queria deixar claro que esse não é um publipost (fiquem tranquilos, quando for publi, o post vai ser claramente sinalizado): falar de chá aqui no blog é uma idéia que já existia há muito tempo -inclusive eu já tinha tirado as fotos quando o pessoal do site me procurou, me dando toda a liberdade pra escolher qual das pautas da revista eu gostaria de explorar.

Como eu já estava produzindo esse post e já havia pensado em mostrar lugares onde encontrar louças bonitas, a proposta da equipe do Westwing veio a calhar.
Dá uma olhada nessas lindezas e me digam se não concordam comigo:

Foto: Westwing

Sério: eu tô desejando muito esse suporte de doces e as xícaras e pratinhos cor de menta e os rosa pálido também. Não tá a cara da Ladurée?

Aproveite por completo!

Pra mim, o chá tem o mesmo papel que o picnic: relax e descontração.


Mas tudo começa quando eu decido que vou fazer o chá... desde a escolha do tema até o momento de sentar e apreciar o momento, todo o processo é importante e deve ser feito de forma leve e com muito carinho envolvido. Até lavar e secar as louças pra colocar à mesa pra mim são divertidos (e olha que eu nem curto lavar louças...).
Então, essa é a última dica: tente curtir todas as etapas e faça o momento durar por mais tempo.


Esse post tá tão grande que tá virando um manual, então, acho melhor parar por aqui, né?
Espero que as dicas sejam úteis e que vocês façam muitos chás lindos e inspiradores com as amigas em casa, principalmente agora, no finalzinho do inverno (em alguns lugares ainda faz frio, mas aqui em Brasília já tá bem quente).
Eu adoraria ver o que vocês vão fazer usando as dicas, então, a gente podia pensar juntos em uma tag pra usar no instagram. O que acham? Usem a caixinha de comentários aqui em baixo pra deixar sugestões (e claro, dúvidas também).

Bjs do Math, bom chá e até a próxima!


Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page