Nem acredito que esse dia chegou, mas eu finalmente consegui filmar, editar e coloquei no ar ontem o tour pela quitinete (mais conhecida como #CASAVIADA) no canal do blog no Youtube (já se inscreveu?)
No vídeo, eu compartilhei algumas histórias, mas além disso, eu quero compartilhar algumas dicas para as migas que também moram em lugares pequenos porque eu sei muito bem como a gente pode se sentir sufocado e desestimulado as vezes. Então, dá um play no vídeo aqui em baixo e se liga nas dicas logo em seguida:


Viu aí como eu dividi tudo?
É até difícil de acreditar mas durante quase sete anos, foi nesse mesmo espaço onde eu consegui criar e contar todas as histórias que vocês viram aqui no blog (sim, por incrível que pareça, a grande maioria das  fotos do blog foram feitas lá dentro, inclusive as fotos de festas).
E se eu consegui me virar por tanto tempo em um espaço tão limitado, alternando entre produções, fotos, montando e desmontando tudo toda vez, eu sei que você consegue, sim, deixar seu cantinho com mais alegria e personalidade também.

Como eu sempre recebo DMs e mensagens de pessoas falando que queriam muito ter uma casa mais bonita, colorida e já argumentam dizendo que moram de aluguel, percebi que esse é um obstáculo para muita gente, então, organizei algumas dicas que podem ajudar quem quer resolver a vida e ter uma casa mais aconchegante mesmo morando de aluguel e gastando pouco, de preferência.

Obviamente, não serei irresponsável de sugerir que você faça loucuras que possam trazer prejuízos posteriormente, então, sugiro fortemente que você revise as cláusulas do seu contrato, para se certificar que as mudanças não tragam maiores implicações futuras.
Eu sempre acho que vale a pena tentar um papo com imobiliária/proprietário para melhorar o ambiente, caso você não mude de endereço com muita frequência e não tenha previsão de sair em um espaço muito curto de tempo.

O fato é que algumas coisas não representam mudanças drásticas, então é tranquilo de fazer e reverter depois, que eu listei a seguir:

Divida os ambientes visualmente

Nem todo mundo tem o privilégio de morar em ambientes com cômodos e, particularmente no caso da nossa quitinete, o ambiente era retangular, com apenas uma janela e uma porta do lado oposto, o que obrigava a gente a manter um layout meio estranho e complicado para os móveis, então, a minha solução foi dividir visualmente o espaço, como mostrei também no vídeo.
E como faz essa tal divisão visual? Você pode começar limitando os espaços com objetos como móveis e tapetes, mas pode contar com um recurso um pouco mais elaborado, como pintura na parede e, com um pouquinho mais de treino, vai perceber que até através da iluminação essa divisão também é possível.

COR

Cores transformam qualquer coisa nessa vida e eu já dei várias dicas sobre o assunto aqui no blog, afinal, cor é uma das formas mais práticas e baratas de mudar para melhor a cara da sua casa.

Geralmente os contratos das imobiliárias exigem que você devolva a pintura do local nova quando sair e tem gente que evita pintar qualquer coisa para evitar trabalho na saída -o que é totalmente compreensível. Nesse caso, você pode acrescentar cores ao ambiente através de objetos (tapete, manta e almofadas para o sofá e até mesmo chapas de madeira grandes pintadas ajudam a criar composições cromáticas espertas), mas dependendo da sua disposição e do tempo que você vá ficar no lugar, possivelmente vai precisar pintar tudo novamente de qualquer forma quando for sair (que foi o que aconteceu com a gente), então, vale a pena repensar, né?

Como quitinetes já são pequenas, você nunca vai precisar de uma quantidade muito grande de tinta (pra pintar cada parte que aparece no vídeo, eu costumava usar uma latinha pequena, que variava entre R$30 e R$50, em média -as mais pigmentadas custam mais caro).
Uma boa notícia é que hoje em dia pintar ficou muito mais fácil pois as tintas à base d'água tem uma qualidade impecável, não tem cheiro e secam super rápido.

Se você tem medo de não gostar do resultado, minha sugestão é que não pinte uma parede inteira; tente começar pintando apenas 1/3 da área com cores mais suaves/pálidas para um baixo contraste até se sentir mais seguro e talvez pintar de cima a baixo, como eu fiz (e nesse caso, mesmo que você se mude em pouco tempo, o trabalho de cobrir apenas uma parte pequena da parede não daria tanto trabalho, né), ou experimentar cores mais vibrantes.

Móveis e objetos com personalidade

Se você não tem previsão de ter um imóvel próprio num curto período de tempo, isso pode ser meio desanimador porque a gente sempre acha que não vale a pena investir em imóvel alheio (e eu concordo, a não ser que seja feito um acordo que seja interessantes para ambas as partes envolvidas), mas a questão é que, nem por isso, precisa ser tudo boring na relação entre você e sua casa: você pode investir em móveis e objetos com personalidade, afinal, eles são seus e vão lhe acompanhar a qualquer lugar.

Se você tem uma sala toda branca, por exemplo, um bom sofá acompanhado de almofadas bonitas, mesas de apoio (ou um banco e uma boa bandeja que podem vir a se tornar uma mesinha... fica a dica) e luminárias diferentonas já são o suficiente para tirar o ambiente do lugar comum. Investir em bons móveis e complementos valem muito a pena se você já tem um estilo definido na decor, afinal, ele vai te acompanhar em qualquer lugar.

Iluminação

Já falei sobre iluminação nesse post aqui, mas vale a pena relembrar que pontos de luz de apoio ajudam a deixar qualquer ambiente mais aconchegante. Nem todo mundo tem teto rebaixado com spots embutidos, mas hoje a gente tem muitas opções de led de sobrepor que facilitam a vida, além dos abajures, arandelas e cia.
Pra mim, pouca coisa na vida consegue ser mais entediante que um ambiente sem luz de apoio. Eu me sinto "triste" em ambientes em que apenas um ponto de luz cria camadas e mais camadas de sombra. Sério: tenta investir em pontos de luz e depois me conta se não valeu a pena...
Apenas lembrando que eu já ensinei a fazer uma luminária industrial bem fácil e super barata nesse post aqui.

Tudo multiuso

Este é outro ponto que eu sempre falei aqui: em espaços pequenos, não dá pra ter coisas muito específicas para uma única função. Um pufe ou mesmo uma cadeira (dobrável, pra você ganhar espaço quando ela não estiver em uso, rs) podem servir de mesa de apoio, um bule ou uma caneca pode virar vaso para flores ou porta trecos para organizar canetas no home office (afinal, ter espaço no armário para guardar bules, jarras e vasos exige um certo espaço que as vezes a gente não tem e que poderia ser útil para outra coisa, né...) e por aí vai...
O lance é focar sempre em coisas mais práticas e versáteis e descobrir novos usos para objetos que fazem parte da sua rotina.


Se você viu o vídeo até o final, já sabe que a gente estava de mudança. Digo estávamos, no passado, porque a gente já tá num apartamento novo e eu não contei antes para não estragar a surpresa que eu tinha planejado para o fim do vídeo.

Tô muito feliz em poder contar que mudamos para um lugar um pouco maior e com divisão de espaços, algo que nos fazia falta e que está nos trazendo um pouco mais de qualidade de vida.
Já coloquei muita coisa no lugar e, apesar de ainda ter muita coisa pendente, já tô amando nossa casa nova e não vejo a hora de dividir os detalhes dessa aventura com vocês.

Espero ter ajudado com as dicas.

Bjs do Math, obrigado pela companhia e até a próxima!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page