Dia desses, conversando com uma pessoa sobre o blog, mais uma vez surgiu aquela clássica pergunta: "sobre o que é o seu blog?" e geralmente eu tenho um pouco de dificuldades em explicar exatamente porque não quero colocar o meu trabalho dentro de uma "caixinha"; eu quero que as pessoas cheguem aqui e sintam que podem encontrar inspiração para diferentes áreas da vida -idéias pra renovar um cantinho de casa, roteiros de viagem -não tão óbvios-, inspiração pra fazer uma festa, montar uma mesa de um chá ou almoço de domingo com a família, ilustrações feitas com todo amor do mundo pra deixar a rotina mais colorida, cantinhos para passear com seu cachorro (e dicas para cuidar melhor dele), lugares bonitos, criativos e inspiradores pela cidade, entre tantas outras coisas...

Agora pensem comigo: como que eu respondo uma pergunta dessas? Difícil, né? Hahaha.
E é pensando nessa característica de ter sempre conteúdo inspirador que eu amo descobrir novos lugares e indicar aqui pra vocês (porque me sinto produzindo conteúdo de utilidade pública (rs)) e é esse o assunto do post de hoje: preciso mostrar um cantinho maravilhoso que fica ao lado da minha casa (LITERALMENTE), aqui no meu bairro, naquele jeitinho típico de Brasília -escondido.
Trata-se do Show Room da Arara, uma marca com pegada praiana que fica aqui no Sudoeste, em um dos blocos da Avenida Comercial, no primeiro andar -ou seja: você só conhece se tiver indicação de alguém ou pela internet, como acontece muito hoje em dia.
As roupas da marca tem uma pegada bem comfy, com modelagens mais amplas e tecidos aconchegantes,  sem perder a essência urbana da cidade, mas o mais incrível é entrar na loja e ter a sensação de estar numa numa casa de praia moderninha tirada do Pinterest!
 A loja é cheia de projetos DIY feitos pela Camila e pelo Adriano, proprietários da marca, o que deixa tudo ainda mais aconchegante e cheio de personalidade (e com mais cara de pinterest ainda, afinal, nada mais Pinterest que decor "faça você mesmo", né).
A vibe lá é tão boa que dá vontade de levar o Sushi pra lá (sim, a loja é pet friendly e eles amam catioros -convivem com 3 em casa, inclusive), pegar um copo de limonada e ficar sentado no sofá turquesa (lindão) batendo papo com a Camila por horas a fio e trocando ideias de projetos DIY, rs...
Uma curiosidade legal sobre a loja é que o nome surgiu meio "por acaso".
Na verdade, lá no comecinho de tudo, era usado fazendo alusão àquela peça utilitária usada pra pendurar roupas, mas depois de um tempo, revendo o conceito da marca, ficou claro que o link com a natureza era algo que já era parte de tudo e o nome continuou lá, mas ganhou um sentido mais amplo e mais bonito. Legal, né?
Entre as inspirações da marca, como não poderia deixar de ser, está a natureza em si, que é uma das principais guias no processo criativo da Camila, responsável pelo design das peças; mas além disso, ela também se inspira no design de interiores e de objetos/produtos e adora colecionar histórias de viagens e transformá-las em coleções -e não existe melhor conexão do que entre design e histórias, né, gente... Amo/sou!
De curioso que sou, perguntei à Camila sobre a origem da paixão por processos manuais, depois de observar vários adetalhes na loja e ela me disse que aprendeu "em casa" mesmo: cresceu em uma família de costureiras e artesãos, vendo esse tipo de produção de perto...
Hoje, isso a inspira em vários aspectos, inclusive em questões relacionadas à sustentabilidade (no sentido mais amplo da palavra): a marca tem como prioridade qualidade e durabilidade das peças, assim como a gente via no passado (eu me lembro muito bem de que as peças não eram tão descartáveis quando eu era criança, viu) e isso está diretamente relacionado a esse resgate de memórias e valores aprendidos com essa vivência, vendo peças sendo feitas passo a passo...

Sobre a relação entre moda e decoração -algo em evidência na loja-, ela me contou que enxerga ambas como uma dupla que anda sempre de mãos dadas.
Pode parecer clichê, mas não precisa de muito esforço pra perceber que é uma visão honesta sobre o assunto: o link entre as duas coisas na loja fica claro na forma como a ambientação ajuda a contar a história das peças, das coleções e da marca em si -e foi exatamente isso que me arrebatou e me fez escrever esse post aqui pra vocês.

E além do elo no processo criativo onde moda inspira decor e vice versa, o babado é que ela pretende lançar uma linha home para a marca em breve, com produtos como almofadas e hangers de macramê, tudo com produção autoral e toques manuais pra deixar a casa das clientes mais bonita e inspiradora também.
Outra coisa que eu amo em marcas locais e menores é exatamente a percepção sobre os novos tempos e fiquei feliz ao saber que esse também é um dos pontos de "cuidado" no caso da Arara: existe uma preocupação em fazer peças atemporais -que mesmo tendo cara de verão, sejam de uso possível durante o ano inteiro-, e com a questão do impacto ambiental, excessos, sobras e desperdício de materiais.
E aquela boa e velha pergunta não poderia ficar de fora: como é viver de design/modas em Brasília?
Camilão me contou que, sim, ainda é difícil (porque será que eu não fiquei surpreso? Risos)...
Falta mão de obra qualificada, preço acessível para pequenos produtores, matéria prima e o principal problema: a falta da valorização do que é nosso, do local.

Felizmente, nesse aspecto a gente concorda: o panorama tem mudado positivamente nos últimos anos e esse processo tem acontecido graças a uma série de fatores que tem ajudado o brasiliense a descobrir e entender a cidade, muito disso, graças aos festivais, eventos de ocupação do espaço urbano, coisas provenientes também da internet.
Dando uma de jornalistazinha-Barbiezinha-Marília-Gabriela, perguntei à Camila sobre os projetos para o futuro da marca e olha, amei que ela tem uma idéia linda de levar a marca ao litoral (sem fugir daqui, viu... Arara ama Brasília, hehe) através de uma pop up colaborativa, ou seja, além do crescimento da própria marca, a idéia ajudaria a levar o trabalho de outros designers junto.
Achei bapho, achei Kardashian empreendedoura/marketeira/visionária e já torcendo pra dar certo porque com certeza vai ser belíssimo!
E é claro que eu aproveitei a oportunidade pra pedir dicas pra quem pretende se jogar na economia criativa (ou pra quem já deu os primeiros passos), afinal, é sempre bom ouvir algo de quem já está no caminho há algum tempo, né? A voz da experiência sempre traz boas dicas e o que a Cá tem a dizer pra quem tá começando é: prepare-se para algumas frustrações no começo, mas não desista porque as recompensas para quem persiste são confortantes; portas se abrem e fecham, mas é importante manter a força, sacudir a poeira e seguir adiante. Estamos passando por uma fase de renovação e, apesar do contexto atual de crises, nunca tivemos um cenário tão propício para a economia criativa, então, se joguem!

Amei as dicas? Sim ou com certeza?
Certa vez vi em algum lugar que a crise é um terreno fértil para a criatividade e isso mudou minha vida, porque é muito real. É nesse cenário conturbado que a gente se reinventa e surgem novas possibilidades.
E agora vocês devem estar se perguntando: tá, mas e onde fica essa belezura pra eu ver tudo de perto, com meus próprios olhinhos? Hehe.
Você pode sentir essas good vibes e bater um papinho com a Camila pessoalmente no Show Room, que fica na sala 112 do Bloco C, na Quadra 104 da Avenida Comercial do Sudoeste.
A loja funciona de segunda a sexta, das 14h às 20h e no sábado, das 10h às 16h.
E pra quem não mora aqui, dá pra acompanhar tudo através do insta da marca, o @amoarara.
Por fim, mas não menos importante, eu listei algumas dicas pra quem gostou do visual da loja e ficou querendo essa vibe praiana maravilhosa em casa também (EU! Hahaha). Tudo logo ali em baixo...

1. A mistura de branco e cru vai ser sempre um clássico maravilhoso e não tem erro!

2. Se acrescentar uma pequena dose de verde ao tópico 1, o sucesso é garantido e a cara de Pinterest, automática, rs.

3. Fica muito mais fácil brincar com cores vibrantes se sua base é neutra: reparou que o sofá turquesa com a manta pink ficou um escândalo?
É aí que entra a mesma dica que já dei aqui zilhões de vezes: pra brincar com cor sem ter muita trabalheira, é só deixar  os tons vibrantes nos detalhes. Almofadas, quadros, vasos e outros detalhes fazem o trabalho duro e você se poupa. Gosto assim!

4. Texturas são maravilhosas para trazer aquela dose de personalidade ao ambiente e a Camila soube fazer da melhor forma na loja: mantendo a neutralidade. Tanto a parede de tijolinho quanto a de madeira deixam o ambiente mais aconchegante e sendo brancos, não cansam os olhos e permitem uma infinidade de composições e experimentos incríveis.

5. DIY, migas! Praticamente tudo na loja foi feito pela Camila e pelo Adriano, que são gente como a gente e não fizeram curso de marcenaria babadeiro em alguma escola por aí...
E se eles conseguiram, a gente consegue também. E a recompensa é ter um cantinho exatamente com a sua cara. Melhor, impossível!

E só mais uma coisinha: enquanto eu editava o post, me deu uma vontade louca de ir à praia (tô falando seríssmo, viu, manas) e como não tá tendo aquela coisa chamada dinheiros, eu dei um jeito de passar a vontade trazendo a praia pra perto de mim com essa playlist muito verãozinho que eu criei pra gente já ir entrando no clima do verão porque eu não vejo a hora de ele chegar!



Espero que tenham gostado do post, da indicação, das dicas e da playlist e sim, eu vou ficar esperando pra saber a opinião de vocês, seja aqui na caixa de comentários, seja no insta ou via pombo correio, rs.
E se você também mora em Brasília e ama ver coisas fofas, criativas e diferentes assim deixando nossa cidade mais bonita, o mesmo se mora em outro lugar mas pensa do mesmo jeito e curtiu a decor da loja, não deixe de compartilhar o post com as miga, tá?

A idéia que rege tudo aqui no blog é: compartilhar coisas boas sempre e eu espero que vocês compartilhem, assim como eu amo dividir achados inspiradores com vocês.

Inclusive, temos uma hashtag no insta pra mostrar lugares fofos e criativos de Brasília, tá? Encontrou uma arte de rua, uma vitrine, uma planta, um bistrô ou qualquer outra coisa fofa, criativa e inspiradora por aí? Posta lá marcando com #brasiliafofa que eu tô sempre de olho nas indicações de vocês.

Bjs do Math e até a próxima!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page