Saímos de BsAs na segunda-feira à tarde e fomos de barco a Montevidéu, num trajeto que durou cerca de três horas.
Com todos os trâmites de embarque, desembarque e tal, chegamos lá no começo da noite, e as primeiras impressões do lugar não me cativaram tanto quanto as que tive ao chegar em Bue. Na verdade, concordo com a Boia do Viaje na Viagem que o ideal seria irmos primeiro a Montevidéu e depois a Buenos Aires  (pra não sentir tanto essa diferença, sabe?), mas como os custos operacionais de chegar por Montevidéu e sair por Buenos Aires eram muito mais caros, optamos por chegar e sair por BsAs. Além disso, a ansiedade pra chegar logo à capital portenha tava tão grande que acredito que não resistiríamos à espera! Rsrs...

Nosso hotel ficava no centro da cidade, na região da Plaza de La Independencia e da prefeitura (dava pra ir andando), parte mais velha da cidade, talvez por isso eu tenha estranhado um pouco.
Mas a cidade tem lá seus atrativos e a gente acabou se divertindo bastante, viu? Muitos prédios e construções históricas bem interessantes, um porto bem movimentado...

O outono que estava chegando acabou nos pegando de surpresa. Sorte que havíamos comprado casacos em Buenos Aires, que salvaram a pele, literalmente!

Sobre o dinheiro: o peso uruguaio é uma moeda bem desvalorizada (compra-se em média UR$8 com R$1), mas o custo de vida é beeem alto (em várias situações sentimos os preços mais altos que os de Brasília, acreditem!), tanto que não compramos muitas coisas por lá.
A relação é mais ou menos assim: em Buenos Aires, ficamos num dos melhores bairros da cidade, pagando um valor "X" pela hospedagem. Em Montevidéu, o mesmo valor não paga um hotel bem inferior na região central. Com o dinheiro que compramos coisas legais em BsAs, não daria pra comprar do mesmo tanto em Montevidéu (até porque lá não tem tanta coisa legal assim pra comprar).
A comida não se distingue tanto do que é servido em Bue, mas o preço, esse sim, tem diferença, só pra variar, rs.

A seguir, fotos, vídeos e mais alguns detalhes sobre a nossa passagem por Montevidéu:

matheus fernandes personal stylist designer grafico
Acima, a vista panorâmica da cidade a partir do prédio da prefeitura, um dos mirantes da cidade.
Alguém me explica porque a fonte dos cadeados é a mais famosa da cidade tendo  uma outra tão bonita como a da foto abaixo?
Quien Te Viera: a loja mais fofa da cidade!
Passando pela rua Sarandí (uma rua bem comprida dedicada a comércio e sem trânsito de carros), que fica logo atrás da Praça da Independência, descobri essa lojinha foférrima escondidinha na Bacacay, perto do Teatro Solis (que a gente não visitou, por motivos de: os horários de visitação são os mais frescos do mundo. Tem só duas vezes ao dia, e você acaba tendo que organizar todo o seu roteiro em função de conciliar a visita com outros pontos turísticos. Optamos por deixar de lado). Vi de longe a plaquinha na porta e os cactos fofos de crochê que decoravam a escada. Entrei e fiquei encantado com tanta coisa bonitinha espalhada em todo canto e com a trilha sonora tipo incrível do local. Se você for a Montevidéu, não pode deixar de dar uma passadinha lá!

Onde, Math?
Quien Te Vieras Tienda de Diseño
Bacacay 1328, Ciudad Vieja
Montevidéu
Segunda a sexta, de 10:00 as 19:00hs; sábado, de 11 as 15hs.

Café Brasilero
Pra compensar a frustração do Café Tortoni em Buenos Aires (ele nem aparece no post sobre comida de BsAs), que achamos um dos lugares mais boring ever -principalmente pela eterna fila pra entrar-, decidimos arriscar o Café Brasilero, e tivemos uma boa surpresa: além do lugar super aconchegante e agradável (e pequeno também, viu?), o sanduíche de lá é um dos melhores que já comi na vida, pela objetividade e qualidade dos sabores. Recomendadíssimo!

Palácio Legislativo de Montevidéu
Lindo e luxuoso, tem projeto assinado pelo mesmo arquiteto do Teatro Colón, de Buenos Aires. Conta com belíssimos vitrais, esculturas, uma senhora biblioteca e conta com visitas guiadas em espanhol, inglês e português. As visitas, tal como no Teatro Solis, também ocorrem somente duas vezes ao dia, e daí a dificuldade de conciliar os dois pontos turísticos. Na nossa visita, conseguimos assistir até a uma sessão do senado!

Outro mirante da cidade mais moderninho, a Torre das Comunicações conta com um projeto arquitetônico deslumbrante, permite observar o porto bem de perto (dá pra ver no vídeo abaixo).

Pocitos é a parte rica de Montevidéu; o passeio pelas ramblas (calçadão na orla) é agradabilíssimo e faz a gente querer ficar sempre mais um pouquinho...
Prédios no centro empresarial de Pocitos (World Trade Center)
Registros de street art, que infelizmente não consegui fazer em Buenos Aires. Esses são da região do porto.
Foto de despedida da cidade, na última noite antes de partirmos rumo a Colonia del Sacramento

A seguir, um vídeo que consegue mostrar melhor do que eu escrevendo o que é Montevidéu:


Ah, tem um lugar que não apareceu nas fotos nem no vídeo porque é muito escuro (nem fotos nem vídeos de lá ficaram bons), mas que vale muito a ida, se você já estiver na área: o Mercado do Porto. A comida não é baratinha, mas pra quem curte um bom churrasco é uma boa pedida!
O lugar parece cenográfico de tão interessante. A sensação é semelhante a de entrar num filme de Sherlock Holmes. Adorei!

Esse é o penúltimo post da viagem; logo mais coloco no ar o de Colonia del Sacramento, um dos lugares mais encatadores e românticos de toda a viagem.

Bjs do Math

Postar um comentário

Contact

Instagram

© Blog do Math
Design by The Basic Page