Uma das minhas maiores dificuldades enquanto profissional que trabalha com processos criativos não lineares sempre foi entender quanto tempo levo para fazer cada etapa dos meus projetos e quando descobri o Método Pomodoro, não fazia idéia do quão útil ele seria na minha vida.

Semanas atrás falei sobre ele no instagram (já me segue lá? Bora ser migas de internet!) e resolvi registrar aqui também para quem quiser entender e testar com calma a qualquer momento.

O que é?

Basicamente, o método ou técnica Pomodoro se resume em dividir seu tempo em blocos com pequenos intervalos que vão te ajudar a manter o foco e aumentar a produtividade.
Quando comecei a usar, achei que seria muito legal melhorar a minha produtividade, sem imaginar que me traria muito mais resultados.

Como Funciona?

Eu sempre fui atazanado em relação a querer ver as coisas que começo prontas logo.
Nunca gostei de começar uma ilustração hoje e deixar pela metade para terminar amanhã, por exemplo...
Até certo ponto, eu achava que esse "desespero" para ver tudo pronto fosse algo bom, mas com o tempo comecei a notar que eu me perdia bastante no meio do processo, principalmente depois que a internet entrou na minha vida, afinal, é muito fácil começar uma pesquisa no Pinterest no meio de um projeto e só perceber depois de 3 horas que você perdeu completamente o foco, né...

Por isso, dividir seu trabalho em pequenos blocos de 25 minutos é tão sensacional: seu cérebro assimila de cara que é um período rápido e que logo você vai ter um intervalo de 5 minutos como recompensa.

A idéia é que durante os 25 minutos de trabalho, você esteja completamente focado no seu projeto e se desconecte de qualquer distração; aqui eu desativo todas as notificações do computador, deixo o celular no silencioso e um pouco distante de mim, apenas com o temporizador rolando, para me avisar quando o ciclo de 25 minutos estiver completo.

Em um breve resumo, o método consiste em trabalhar da seguinte forma:  4 blocos de 25 minutos com intervalo de 5 minutos entre cada um deles (você deve usar os intervalos para fazer qualquer coisa que não esteja relacionada à tarefa em execução) e, ao completar os 4 blocos, uma pausa maior, de 15 a 30 minutos.
Ao todo, um ciclo completo totaliza duas horas de trabalho, já com os intervalos e é bem incrível notar o quanto a gente consegue render mantendo o foco em uma coisa de cada vez ao invés de tentar controlar o mundo todo de uma vez.

Para ajudar, é bom ter um checklist por perto, assim, você anota suas atividades e ao longo do dia vai marcando as que já foram realizadas.

O que aprendi com o Método Pomodoro

Depois de fazer a divisão do tempo em blocos pela primeira vez, uma coisa que ficou muito clara pra mim: eu tinha uma visão completamente distorcida em relação ao meu foco e ao valor do meu tempo, pois eu não sabia que 25 minutos poderiam render tanto e menos ainda o quanto 5 minutos pode fazer a diferença, ajudando a oxigenar as idéias.

Para uma pessoa que sempre se guiou pelo fogo no habo de ver tudo "pra já", foi surreal notar que pequenas pausas ajudariam, ao contrário do que eu sempre imaginei -por acreditar que as pausas interromperiam meu processo criativo.

Também entendi que eu consigo ser muito mais produtivo do que eu achava que poderia ser, desde que mantenha o foco, me concentrando em uma coisa por vez.

E talvez o mais importante dos aprendizados: a gente não morre de ficar desconectado das redes sociais e da internet por alguns minutos... se alguém te mandar uma mensagem no whatsapp e não tiver resposta na mesma hora, tá tudo bem, o mundo não vai acabar por causa disso!
Acredite: é possível se livrar de todas essas idéias negativas que amarram a gente nesse ciclo infinito de ansiedade o dia todo, onde a gente precisa fazer tudo junto ao mesmo tempo.
O grande segredo é que a gente não é tão multitarefa como a gente acredita ser e aceitar isso vai nos deixar mais leves.

Agora, aquela dica de ouro que eu dei nos stories e não poderia ficar de fora aqui também: o método funcionou comigo todas as vezes que tentei usar até hoje e eu considero isso algo maravilhoso, mas não se culpe se você tentar e não curtir ou achar que não é a sua praia...
Eu diria apenas para você não desistir de primeira, mas também desencana caso não role, afinal, cada pessoa é única e organização e produtividade tem conexão absoluta com quem você é e sua forma de ver e se conectar com o mundo. Talvez não seja desse mindset que você esteja precisando no momento e tudo ok continuar tentando até encontrar algo que se adeque melhor à sua realidade.

Só quis compartilhar aqui porque o método me ajudou muito (e continua ajudando) e acredito muito que coisas boas precisam ser compartilhadas para levar mais felicidade e qualidade de vida para quem importa pra gente, assim, a gente vai ter um mundo com menos pessoas frustradas e chateadas por aí...

Então, se você acha que o método pode ser útil para alguém que você conheça, não deixe de compartilhar esse conteúdo, porque coisa boa a gente não guarda na gaveta: a gente divide com o mundo!

Inclusive, se você tiver mais dicas de outros métodos para ajudarem na produtividade e na organização da rotina, conta aqui porque eu vou amar saber.


Bjs do Math e até a próxima!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page