Desde o começo do blog, eu já passei por muitas fases, afinal, em seis anos, a gente muda e evolui muito...
Houve momentos em que eu sonhei em ser blogueirinha famosa, fases em que eu achei que conseguiria, sim, ficar rykissima publicando conteúdo aqui e com toda essa idéia romantizada e idealizada (que a gente vê de pessoas que, por algum motivo conseguem ficar muito reconhecidas e ganharem muito dinheiro com isso), a gente se ilude, se cobra para ser igual a elas e isso traz uma enorme sensação de frustração, quase de derrota, achando que estamos fazendo tudo errado.
E porque falar disso no plural? Porque eu sei que não sou o único: tenho muitos amigos que conheci através dessa jornada de trabalho com internet e sei que muita gente sente as mesmas coisas as vezes.

Fazer do seu conteúdo na internet um negócio é algo muito mais complexo do que a Ana Maria Braga, o Fantástico e as colunas das revistas fazem parecer que é. Na vida real, a gente enfrenta "N" obstáculos, principalmente quando você se compromete em produzir conteúdo REALMENTE autoral e se preocupa com a qualidade do que está entregando para as pessoas e tudo isso se transforma em uma pressão ainda maior (interna e externa) quando você percebe que passou muito tempo da sua vida investindo tanto, se esforçando tanto e o retorno não vem da forma esperada, até que você acaba caindo na armadilha de digitar "como aumentar os views do meu blog" no google e encontra várias fórmulas que te dão uma falsa (e temporária) esperança de que, sim, você ainda tem chances.

Dentre alguns truques das fórmulas prontas da internet, está a clássica dica relacionada à frequência do seu conteúdo, aquela que diz que, se você quer manter uma audiência fiel, tem que estar sendo visto pelos seus seguidores o tempo inteiro.
E qual o problema com essa dica? Afinal, ela faz bastante sentido até...
Imagine que a Rede Globo deixa de transmitir o Jornal Nacional por uma semana... Dentro desse período, os telespectadores obviamente acabariam encontrando outras coisas para assistirem e continuarem informados e, quando a emissora voltasse a transmitir o telejornal, teria perdido muita audiência, já que muita gente poderia acabar se identificando mais com outros formatos nesse meio tempo... alguém concorda ou essa conclusão maluca é só minha?

Apesar de ser muito válida, uma questão sempre me incomodou nessa dica: eu sou uma pessoa só pensando em pautas e em formas de viabilizar imagetica e textualmente tudo o que eu coloquei no ar aqui ao longo dos quase seis últimos anos, o que me fez concluir que talvez eu não tenha nascido, então, para ter uma enorme legião de seguidores, já que eu sempre priorizei e pretendo continuar priorizando a qualidade do conteúdo ao invés da quantidade/frequência.

Não posso, não quero e me recuso a produzir conteúdo apenas para encher linguiça.
Não vou perder meu tempo sentando na frente do computador escrevendo coisas vazias e, automaticamente, fazer com que vocês, as pessoas que mais me importam nessa jornada pela web, também percam minutos preciosos da vida de vocês com conteúdo no qual eu não acredito.

Porque eu precisava falar (novamente) sobre isso?
Porque volta e meia eu ainda sinto um pouco de culpa por não ter posts todos os dias aqui e vídeo pelo menos 3 vezes por semana no YouTube (que é a quantidade ideal para se manter relevante para o algoritmo e para continuar crescendo), mas eu refleti muito comigo mesmo nas últimas semanas e concluí, mais uma vez, que acho que estou fazendo o certo ao priorizar estudar ainda mais a fundo, dedicar ainda mais tempo para que cada texto, cada editorial, cada DIY ou playlist que seja compartilhado aqui tenha cada vez mais do meu coração para vocês.

Eu sei também que nem todo mundo vai ficar comigo durante toda essa tragetória, seja lá quanto tempo ela dure, mas também não tenho medo de "perder" seguidores/expectadores ao longo da estrada, afinal, as relações duram o tempo que tem que durar.
Tem gente que está comigo por longos anos, tem gente que se tornou amiga pessoal durante essa história e também tem muita gente só leu um único post, baixou um único freebie, por exemplo, mas tenho cada vez mais claro que o que faço é por amor e, se o trabalho árduo conseguir tocar e impactar positivamente "apenas" uma pessoa (ou apenas uma vez na vida), já valeu cada gotinha de suor derramada (e acreditem, foram muitas ao longo dessa história).

Tudo isso é apenas pra dizer, mais uma vez, que vocês terão sempre o melhor de mim, sempre o mais profundo do meu coração em cada foto, cada cartela de cores minuciosamente planejada, cada identidade visual por nova fase/era do blog, cada DM lida e/ou respondida.
Tenho vocês como uma família/comunidade (pequeno vale do amô) e não como números, o que me faz sentir o peso da responsabilidade de levar muito a sério tudo o que vai ao ar e quero apenas dizer que, sejá lá o que for, faça porque ama e acredita, não por promessas jogadas ao vento de fama, dinheiro ou coisas passageiras.
E lembre-se sempre que o sucesso não deve ser medido por coisas materiais, mas por pequenos resultados que sejam capazes de te tornar uma pessoa mais completa e feliz. Pode soar clichê, mas acreditem na tia, é muito real, viu...

Bjs do Math, muito amor e até a próxima!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page