Tanto tempo sem postar aqui que até pensei que tivesse esquecido como se faz, haha.
Estive ausente aqui por motivos de muito trabalho, mas continuo sempre presente no instagram, dividindo um pouco inclusive da minha rotina de trabalhos pelo instastories, então, se você ainda não me segue, lá eu sou o @blogdomath.

Tentando voltar as atividades por aqui, hoje quero dividir com vocês mais uma das minhas fontes de inspiração musical, a dupla (de irmãos) Angus & Julia Stone, que se juntam ao hall de artistas australianos maravilhosos que já apresentei anteriormente aqui no blog.

O duo trabalha com uma sonoridade indie/folk (já foi bem mais folk)/pop, trazendo aquela nostalgia -que eu adoro- através dos vocais (ambos tem vozes com características bem singulares) e das melodias e batidas.
Como eles não são muito conhecidos, pouca informação se tem sobre eles na internet, então, ao invés de escrever textão, prefiro mostrar em vídeos o porque de eu amar esses dois lindos:

1. GRIZZLY BEAR

Uma das minhas músicas favoritas deles -e da vida!
É só começar a tocar que dá vontade de ir correndo para uma praia deserta para assistir ao pôr-do-sol e esquecer do resto do mundo...

2. Snow

Snow começa com um "la la la" sussurradinho na voz da Júlia que parece um cafuné deitado no colo da pessoa que você ama, fuçando uma caixa de sapato com fotos velhas...
Não sei explicar, só sentir:

3. Heart Beats Slow

Essa tem uma pegada meio 70s, com vocais que mais marcados (em alguns momentos lembra um pouco Firs Aid Kit. Amo!) e uma vibe meio Woodstock. O clipe não é ZERO fofinho, mas conta uma boa história e a música é uma delícia! 

4. From The Stalls

Um dos clipes mais sensoriais dos irmãos, com estética bem retrô/conceiton, bastante melancolia e uma viagem meio psicodélica louquíssima de ki-suco dentro de um barquinho.
Aqui acontece uma das coisas que eu mais gosto em clipes: quando imagens acompanham de forma inusitada os acordes e a intensidade da música.

5. Chateau

E como o melhor fica para o final, esse é o single mais recente deles, com uma pegada mais feliz, sonoridade mais pop, uma pitadinha (na medida certa) de sintetizadores, um flerte com a estética dos anos 1950 e até mesmo variações dos vocais tanto de Julia quanto de Angus.
Espero ansiosamente que o novo album traga mais dessa pegada porque amei. Tô viciado e ouvindo "Chateau" sem parar



Eu sei bem que nem todo mundo tem paciência pra post de indicação musical e inclusive que gosto musical é algo muito particular, mas como vocês sempre me perguntam quais são minhas fontes de inspiração, vai continuar tendo post de indicação musical porque música é uma das coisas que mais me inspiram no universo, por "N" motivos, entre eles, por transmitirem emoções, sensações e, no caso dos clipes, por trazerem histórias à vida de forma lúdica, poética, divertida e por trabalhar tantas estéticas.

Então, pra quem pergunta sobre onde me inspiro, pode dar uma olhada nos demais posts da tag Música aqui no blog, que já dá pra entender um bocado sobre o meu trabalho vendo o que indiquei aqui ;)

Bjs do Math, boa semana e muita música pra deixar a vida mais feliz!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page