Formada na mesma escola de fofuras que Petite Meler, Whinie Williams é meu novo xodó e já entrou pra minha lista de cantoras preferidas; estou em um relacionamento sério com a videografia da moça, que é um dos meus achados mais recentes do spotify (já segue lá, miga? Link aqui) e não poderia deixar de compartilhar com vocês.


Influenciada pela estética da década de 1960 -em particular pelo estilo inconfundível de Brigitte Bardot-, essa mocinha que ainda tem pouquíssima notoriedade no mercado musical (e nas redes sociais, vide o número baixo de followers e de views em seu canal no youtube) é também apaixonada por moda e tem uma coleção de looks de dar inveja; com truques de styling inusitados e divertidos, Whinnie é um ótimo exemplo de como explorar a estética retrô de forma criativa transformando o caricato em algo aprazível e acabou por se tornar uma das minhas fontes de inspiração desde que a encontrei, nas últimas semanas.

Acho que gostei tanto da Winnie porque se eu fosse mulher (não que esteja muito longe disso. Brinks. Sou muito macho, dá pra ver pelas cores desse blog cheio de testosterona), provavelmente teria um estilo muito parecido com o dela: também sou apaixonado por casacos estruturados e pela modelagem evasé típica dos anos 1960, que são elementos de estilo da loirinha.
Ai, gente, era pra ser segredo, mas a Whinnie sou eu. Pronto, falei (aqueles que mentem de forma descabida).

O que dizer sobre o combo olho delineado + cabelão meio Brigitte Bardot, meio Barbarella? Não sei lidar!
E o truque da Jelly com meia? Faz favor... <3

Melhor do que eu ficar falando aqui é mostrar pra vocês a moça em ação junto com sua coleção infinita de poodles. Pra isso, eu separei alguns vídeos bem fofinhos e inspiradores da Whinnie que vocês podem ver a seguir.
Vambora?



Não sei como vocês lidam com esses cachorros fofos interagindo no vídeo, mas eu tô bem mal aqui...

Sobre o enquadramento inusitado: alguma dúvida sobre as influências de Godard, Billy Wilder e Wes Anderson?
Muito amor!



E esses looks, gente? Me lembram muito a Moschino durante a fase em que Rossela Jardini era a diretora criativa da marca. Nada contra Jeremy Scott, mas coleções literalmente figurativas de personagens enjoam rápido... Saudades, Rossela. Saudades, Franco.



Meu olhos brilham com essas cartelas cromáticas tão maravilhosas, gente...
E sobre o mashup em si, não sei o que dizer, só sei sentir!

Whinnie ainda não tem álbum lançado nem muitas informações biográficas disponíveis no google, mas já lançou algumas mixtapes, tem um feed bem legal no instagram recheado de looks bem lyndos e tem também várias músicas avulsas disponíveis no Youtube. Se você é apaixonado por retrô, assim como eu, já pode adicionar miss W na sua playlist e desejar à ela boa sorte e uma carreira de sucesso.

Bjs e me liga, Whinnie!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page