UPDATE:
Eu sempre defendi o trabalho de artistas, designers e criadores não apenas porque faço parte do grupo, mas também porque acredito que a base para uma sociedade civilizada é o respeito ao próximo.
Nas últimas semanas eu passei por vários problemas relacionados a cópia, uso de imagens sem crédito (o mais usual de todos os problemas), plágio etc e tentei resolver da forma mais discreta, pacífica e respeitosa possível -porque eu também acredito que se a gente quer respeito, tem que respeitar o outro.
Acontece que depois que eu coloquei esse post no ar, hoje de manhã, recebi um e-mail da criadora de uma das fontes dizendo que ela não estava disponível para download gratuito -e que o site onde eu a encontrei fornece link para download grátis de forma ilegal.
Eu poderia simplesmente tirar o post do ar e remover a postagem que fiz nas redes sociais, mas como sempre falei muito abertamente sobre tudo aqui com vocês -inclusive coisas bem íntimas-, preferi manter e aproveitar o momento pra falar um pouco sobre esse erro fatídico.

A verdade é que eu encontrei um site com fontes grátis lindas totalmente por acaso e a primeira coisa que pensei foi em compartilhar com vocês, porque acho que a principal função do blog é compartilhar coisas legais, porém, não averiguei o material como deveria e cometi o mesmo erro que já acusei algumas pessoas de cometerem algumas vezes: postar o que está diante dos olhos sem verificar a fundo a origem.

Eu gasto muito tempo (e algum dinheiro) pra fazer os posts que aparecem aqui, porque prefiro entregar a vocês algo criado por mim, exatamente pra evitar problemas como esse; aliás, ainda no comecinho dessa semana eu tava conversando com a Mel do blog Serendipity e a gente estava falando sobre como as pessoas enxergam o que está na internet apenas como algo que não tem dono. Mas se tá ali, foi criado por alguém, logo, tem um criador ou um dono, sim!

Já fiquei bem frustrado algumas vezes que encontrei imagens que elaborei com todo carinho do mundo sendo usadas por outras pessoas como se elas tivessem feito, quando na verdade só tiveram o trabalho de dar um print na tela.
Esse é o tipo de sensação que não quero causar a ninguém, por isso, estou modificando esse post.
Eu sei que pode ser desagradável pra vocês que ainda lerão esse post vir em busca de fonte grátis e encontrar esse tipo de desabafo e uma lista diferente, mas é necessário.

É nisso que eu acredito e eu não poderia trair meus próprios princípios, então, verifiquei melhor as fontes e descobri o link para compra delas.
O valor não é tão alto e inclusive eu vou fazer um post em breve sobre um ótimo site onde eu compro itens de design por um preço mais baixo e de forma legal.

Espero que não sintam-se ofendidos ou chateados com a mudança, mas eu acho que é assim: se a gente quer que o mundo mude de alguma forma, a gente tem que dar o primeiro passo.
Eu estou dando um e conto com vocês pra gente fazer uma caminhada rumo a uma internet mais honesta e transparente juntos.

...............................................................................................................................................................

A caligrafia está vivendo seus momentos de glória: sites, revistas, outdoors e diversos outros meios de comunicação se apropriaram desse tipo de trabalho manual (pra ninguém sair daqui fazendo a Kátia cega: caligrafia é diferente de tipografia e consiste em escrita feita de forma mais "artesanal" e instantânea, sem o planejamento prévio de famílias de letras como no caso da tipografia) e eu não acho que seja apenas mera coincidência.
Acredito que à medida que a evolução tecnológica cresce e tem impacto cada vez maior sobre a nossa vida, existe um movimento de pessoas no contrafluxo; são pessoas que acreditam que o resgate do orgânico e do analógico é um caminho para nos lembrar que ainda somos humanos.

Pode parecer alienação, hoje, mas num futuro não muito distante, esse discurso fará ainda mais sentido.
Se você parar pra pensar quantos gadgets e máquinas fazem parte do seu dia-a-dia, você vai chegar a conclusão de que as vezes você passa muito mais tempo interaginco com as máquinas do que com pessoas!

O fato é que além dessa percepção mais profunda que eu tenho sobre o uso da caligrafia no design contemporâneo, há também o fato de que eu sou apaixonado por esse tipo de técnica -que exige muitíssimo treino, estudo e dedicação.
E como eu sei que nem todo mundo tem tempo e recurso pra treinar, fiz uma seleção das melhores fontes caligráficas que eu encontrei nos últimos dias pra compartilhar com vocês!
Vem ver:

MANHATTAN DARLING

manhattan darling font

 Manhattan Darling é uma fonte mais certinha e "redondinha" e com efeito de pincel/nanquim; seu único problema é a falta de acentos gráficos.
Download aqui

DOODLESACK

doodlesack free font
 Com mais ritmo e dinamismo, a Doodlesack é uma fonte mais irregular, do jeito que eu gosto -porque acho que dá mais impacto visual.
Download aqui.

KAILEY

kailey free font
 A Kailey -isso é nome de travesti, né, mores...- é uma fonte travesty cheia de curvas e discretamente ornamentada; foi pensada pra lembrar letras feitas usando pincel redondo (apesar de algumas extremidades terem características de pincel chanfrado). Na verdade ela é uma salada mista de coisas que resultou em letras bem charmosinhas...
Download aqui.

MALLOWS

mallow free font
 Meu caso de amor com a Mallows foi tipo romance à primeira vista: o ritmo dela me faz lembrar um pouco da irregularidade na caligrafia da Jasmine Downlig, a Beyoncé das letrinhas, o que significa que não tem como não amar...
Download aqui

ROSELINA

roselina font free

Comparada com as anteriores, eu acho a Roselina tipo uma Paulina Martins, meio sem sal, rs.
Mas é apenas o efeito comparativo mesmo! Ela é bem charmosinha também e pode ser usada em composições mais delicadas (noivinhas do DIY podem elaborar convites com ela, por exemplo...).
Download aqui

É isso, mozões!
Espero que tenham gostado da seleção e que façam bom uso das fontes.

Naturalmente, o uso de fontes tem suas limitações e nunca será compatível com a liberdade de criação da caligrafia orgânica, mas já é alguma coisa... rs.

Só pra constar: eu gostei tanto desses cartazes que criei pra demonstrar o uso das fontes que tô quase fazendo tudo em tamanho grande e mandando imprimir pra decorar a casa.

Bjs do Math e até a próxima!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© BLOG DO MATH
Design by The Basic Page