Continuando a série de posts sobre minha viagem ao Sul, depois de Curitiba (veja os posts aqui) foi a vez de fazer uma parada em Porto Alegre.
Eu tava empolgadíssimo pra conhecer a capital gaúcha -tipo criança nas vésperas de ir ao parque, sabe como é?-, principalmente porque tinha encontrado na internet muitas dicas de lugares fofinhos.

Dessa vez, minha principal fonte de dicas foi o Meninices da Vida, blog da minha amiga Camila Rech, uma gaúcha super estilosa de cabelo cor de rosa que sempre posta dicas de lugares lindos para se explorar na cidade.
Queria dizer inclusive que inspirado na Camila e nas irmãs Alcântara (do Tudo Orna), que exploram e compartilham o melhor de suas cidades, já estou me programando e vou fazer reativar a tag de "escondidinhos" e colocar a cara no sol pra mostrar meus cantinhos preferidos de Bsb pra vocês.

PORTO ALEGRE - PRIMEIRAS IMPRESSÕES


O efeito comparativo é sempre inevitável: saindo de Curitiba e caindo direto em Porto Alegre, você vai sentir algumas diferenças e contrastes entre as duas cidades.
Não vejo como pontos positivos e/ou negativos, apenas diferenças que devem ser respeitadas, pois são particularidades de cada lugar.

O que não posso deixar de comentar é que logo de cara notei que a capital gaúcha tem um gigante e precioso acervo de prédios históricos que, infelizmente, não são tão bem cuidados.
Eu fico sempre muito triste quando vejo prédios antigos abandonados/mal cuidados porque tenho verdadeira e -muito!- sincera paixão por eles. Além de serem um patrimônio de todos nós, eles contam a nossa história (além de renderem fotos maravilhosas).
A boa notícia é que também vi vários prédios em manutenção ou com cartazes notificando que seriam restaurados em breve.

Chegamos em POA no fim de semana (sábado de manhã) pra ficar até segunda a tarde e isso por si só é suficiente pra eu não conseguir tirar conclusões honestas e verdadeiras sobre a cidade, afinal, o centro estava super vazio, pois o comércio estava fechado. Além disso, ouvimos muita gente comentando que a cidade tava bem vazia por causa do calor, que tava absurdo e fez todo mundo fugir pro litoral.

ONDE FICAMOS

Em POA, ficamos num hotel da rede Atlântica em frente ao Parque Moínho dos Ventos, conhecido também como Parcão.
Localização excelente pois praticamente tudo que eu coloquei na minha To-Do list (ui, ele fala inglês no meio das frases... Que BREGA! ahahaha) ficava ali pelos arredores a poucos minutos de distância (a pé).

Ao contrário do Ibis que experimentamos em Curitiba, o quarto dessa vez era gigante e super confortável.
Além disso, tinha um café da manhã bem digno e a decoração do quarto era mais chiquetosa que a do nosso aqui em casa. Tive que me segurar bastante pra não roubar uma luminária maravilhosa que tinha lá. Rsrs.

PASSEIOS / PONTOS TURÍSTICOS

Parque Moínhos dos Ventos/ Parcão

A gente chegou, tomou uma água saborizada sensa que tinha na recepção do hotel enquanto preenchíamos os documentos do check-in, guardamos as malas e fomos conhecer o Parcão, afinal, ele estava na nossa frente.
De cara, a primeira coisa que a gente "estranhou": as pistas para passeio/corrida/caminhada são apenas cobertas com pedrinhas. É uma coisa ínfima, mas a gente acabou reparando porque estamos acostumados com pistas de cimento; depois, acabamos por confirmar que lá é assim em todos os parques (ou pelo menos nos que visitamos).

O Parque em si não é tão grande, mas é bem bonito e vale a visita.
Tem muitas árvores e um laguinho onde fica o moínho da foto, vários patinhos (digitando com os pés enquanto faço um S2 com as mãos porque amo patinhos, tá?) e tartarugas assassinas de pombos. Hahaha.
Explico: morri de susto quando um pombo tentou comer os farelos de pão que uma criança jogou na água e foi engolido por uma tartaruga #vidaloka.

blog brasilia matheus fernandes

blog brasilia matheus fernandes
Onde fica: Rua Comendador Caminhas, s/n. Moinhos de Vento.

Praça/Jardins do DMAE

Outro lugar que ficava bem pertinho do hotel. Esse foi uma das indicações da Camila que eu mais gostei, porque o lugar tem umas referências parisienses bem explícitas que eu amo!

Em um dos cantinhos tem um chafariz com umas estátuas bem bonitas que foram migradas recentemente de outro canto da cidade para serem preservadas. Na outra extremidade fica uma casa com um jardim de arbustos e uma torre. Entre os dois pontos, mais jardins e um túnel verdinho bem romântico.

BLOG BRASILIA MATHEUS FERNANDES


BLOG BRASILIA MATHEUS FERNANDES

blog brasilia matheus fernandes
Onde fica: Rua 24 de Outubro, nº 200, Moinhos de Vento

Centro Histórico
BLOG BRASILIA MATHEUS FERNANDES

O Centro Histórico de Porto Alegre, ele é maravilhoso, meus amigos!
Eu simplesmente não parava de apontar o dedo (acabei de lembrar que minha avó dizia que apontar o dedo pras coisas era falta de educação. Não faz muito sentido pra mim, então, aponto mesmo! O que que isso tem a ver com o post? Nada, migs... Só lembrei mesmo.) pra tanto prédio lindo.

Tem uns exemplares em estilo Art Nouveau que fizeram meu coração chorar champagne rosé. Sério, muito amor, cara!

Como eu disse no começo do post, eu acho que vários deles mereciam mais atenção e cuidado, mas fiquei feliz em saber que há pelo menos promessas de restauração a caminho.

Uma coisa legal é que deixamos pra ir ao Centro Histórico (que tem muitos prédios sendo usados para fins comerciais) no domingo, e o que acontece na maioria dos centros é que eles ficam abandonados aos domingos, já que o comércio não abre.
Porém, em POA foi diferente: tinha bastante gente circulando e foi bem tranquilo (tirando o calor infinito que dava vontade de fazer topless e entrar na fonte no meio da praça. Só não fiz porque não tava afim de ser preso naquele exato momento) fazer o tour, tirar fotos e filmar.

BLOG BRASILIA MATHEUS FERNANDES

blog brasilia matheus fernandes

Esse chalé é bem conhecido porque é super antigo e hoje rola música ao vivo pra galera que senta nas mesinhas do bar, mas tava bem flopado no dia.
Deve ser porque a setlist do rapaz que tava tocando só tinha Ana Carolina; toca uma da Britney que o povo anima, moço! #FIKDIK (brinks, gente! Amo AC)
Por trás dele tem os trilhos por onde passava o bondinho antigamente. Achei uma pena não ter nenhum exemplar exposto pra gente ver...

blog brasilia

Casa de Cultura Mário Quintana
blog brasilia

Tô aqui com a mão no coração e os olhos cheios de lágrimas de Chanel nº5 pra dizer pra vocês que a Casa Mário Quintana é uma enorme casa cor de rosa com um jardim de cactos e suculentas e plantas aquaticas em banheiras vintage (mores, eu disse CASA COR DE ROSA, CACTOS, SUCULENTAS E BANHEIRAS VINTAGE numa mesma frase!).

Eike felicidade, eike amor, eike minha casa, minha vida!

Eu tinha visto várias fotos do lugar no instagram e já estava decidido que não teria como não ver tudo ao vivo.
A casa é um grande complexo cultural com exposições, instalações e uma infinidade de outras coisas legais, porém, o que chamou a minha atenção mesmo foi o jardim de cactos e suculentas.
Podem apontar o dedo (minha vozinha não curtia, lembrem-se. Hahaha. Te amo, vó!), mas só Deus pode me julgar.
Pela atenção, obrigado!

blog brasilia matheus fernandes

blog brasilia matheus fernandes

Vocês já devem ter notado que eu não tô em meu estado normal pra falar dessa casa, mas olha bem pra essa foto ai em cima e veja se consigo. Nem tem como, Brasil. Muito amoooor!

Onde Fica: Rua dos Andradas, 736, Centro.
Segunda-feira das 14h às 21h;
Terça à sexta das 9h às 21h;
Sábado e domingo de 12h às 21hs.

blog brasilia matheus fernandes

O Pátio do Barão é um bequinho colorido com lojinhas,café etc. Tava tudo fechado quando eu passei (domingo a tarde), mas não resisti e tirei umas fotos porque as cores de lá são tipo ótimas. <3



Rua Gonçalo de Carvalho
blog brasilia matheus fernandes

Se essa rua, se essa rua fosse minha, eu mandaria fechar e não deixaria passar carro nunca mais.
Nem sei explicar o que senti passando por baixo desse túnel verde maravilhoso.

Eu amo verde, amo árvores e isso não é novidade pra ninguém, logo, pode-se deduzir que minha vontade era de sair abraçando e beijando essas árvores lindas de uma por uma. Não fiz pra não ser preso como "o maluco que assediou as árvores da rua".

Falando serião agora: se você for a Porto Alegre, não deixe de passar lá, afinal, a Rua Gonçalo de Carvalho é considerada, com toda razão, uma das mais bonitas do mundo e de perto é infinitamente mais linda do que qualquer foto possa tentar mostrar.

Pôr-do-Sol na Orla do Rio Guaíba
blog brasilia matheus fernandes

Fomos conhecer a Usina do Gasômetro, que fica às margens do Rio Guaíba, no fim da tarde de domingo -depois de passarmos na casa rosa do Mário Quintana.

O prédio da Usina, que hoje é um grande galpão utilizado como centro cultural, foi inaugurado em 1928 e, ao contrário do que o nome sugere, abrigava uma companhia elétrica e não de gás.
O nome acabou pegando pela proximidade com uma outra usina de gás que existia nos arredores.

As atividades da usina foram encerradas nos anos 1970 e ela quase chegou a ser demolida, mas o povo não deixou que isso acontecesse.
Ela foi então tombada e hoje é um dos pontos turísticos mais conhecidos da cidade, onde a galera se junta pra ver o pôr-do-sol em frente ao Rio Guaíba.
É bem lindo ver todo mundo reunido ali... Apesar de não conhecermos ninguém, parecia que estávamos com uma grande turma de amigos.

COMIDINHAS

Abuelita

Abuelita é um bistrô (cor de rosa) todo charmozinho que também ficava bem perto do hotel.
Eu já tinha visto muitas fotos dele na internet também e estava super ansioso pra experimentar as delícias do cardápio ao vivo e em cores.


Apesar de ter uma fachada bem estreita, ele é bem grandinho e tem até um jardim bem verdinho nos fundos (esse da foto aqui em baixo).


Com ares de casa de vó + pegada kitsch, o Abuelita me fez lembrar vários dos cantinhos charmosos que conheci em Buenos Aires.
Tem parede cheia de pratos, molduras, toalhinhas de crochê, mesas e cadeiras descombinadinhas de propósito, etc e tal.


Em relação ao cardápio, tudo impecável, fresquinho, cheio de carinho pra acariciar o paladar (gente que acha que sabe falar bonito. Ô, coitado...).

Pedimos um prato do menu à la carte e pagamos um pouco mais pra ter acesso ao buffet comendo à vontade.
Tinha uma quiche de vegetais que é coisa de outro mundo. Repeti sem nenhum pudor enquanto aguardava meu prato "oficial" chegar e tomava um suco orgânico maravilhoso de tangerina que vem numa garrafinha de vidro bem fofa (que eu queria ter trazido pra casa).


Cadê as fotos da comida, Math?
Tem não, amor...
Tirei várias, não conferi direito na hora e só vi depois que ficaram meio desfocadas, sem qualidade boa pra postar aqui.
Mas eu pedi um filé mignon com um molho especial e aspargos e "teve bom".

Não sou crítico gastronômico, pelo contrário: passo longe disso, mas adoro quando comer vira uma experiência sensorial completa, e o que posso dizer sobre o Abuelita é que me impressionou e arrebatou meu coração por me proporcionar o que busco.
O espaço é lindo, agradável e cheio de charme e a comida, além de gostosa e suave traz junto aquela boa sensação de "nossa, que sabor diferente".

Recomendo muito!

Onde fica: Rua Tobias da Silva, 139. Moinhos de Vento
Segunda à sábado das 10h às 19h.

Barbarella

Passei a viagem inteira com "Break Free" da Ariana Grande na cabeça e na ponta da língua; o clipe foi inspirado no filme Barbarella (que já apareceu na minha lista de indicações de filmes aqui no blog), que também serviu de inspiração pra esse lugarzinho ultra charmoso de Porto Alegre -que também estava bem perto do hotel  (um viva pro Sander que arrasou na escolha!).

Com toldo listradinho azul e branco + neon na fachada e mesinhas espalhadas pela calçada que se mistura com o jardim e aproveita a sombra das árvores, o Barbarella é um convite irrecusável pra gente viciada em lugares retrô.


Quando chegamos lá, ele tava bem cheio. Inclusive, ficamos do lado de fora mesmo porque parecia bem apertado lá dentro e o calor não tava dando trégua.

Vários (vááários mesmo!) itens do menu estavam indisponíveis, inclusive o que eu mais queria experimentar. Fomos obrigados então a experimentar outras coisas.
Os pedidos não demoraram a chegar e estavam bem gostosos.
As atendentes também foram bem solícitas.
De forma geral, a avaliação é positiva. Só senti falta de um som ambiente (porque sou enjoado no nível de sentir falta de música enquanto como). 


Onde fica: Rua Dinarte Ribeiro, 56. Moinhos de Vento.
Segunda, das 8h às 22h;
Quarta à sábado, das 8h às 22h;
Domingos e feriados, das 9h às 21h;
A cozinha fecha às 21h15.

Saint Chocolat

O Saint Chocolat é um cantinho fofo pra comer brigadeiro gourmet que encontrei nas dicas do ICKFD, o site lindão da Dani Noce.
O lugar é novo e bem pequeno, porém, muito charmosinho e tem essa cara de patisserie inglesa das antigas que eu amo. <3

Os brigadeiros são preparados com ingredientes da melhor qualidade, o atendimento é tão doce quanto os brigadeiros, que por sinal, são irresistíveis. A gente pediu bis!



Onde fica: Rua Dona Laura, 184. Moinhos de Vento.
Segunda à sexta das 9h30 às 18h30.

COMPRINHAS

Brique da Redenção

Eu tava cheio de dúvidas sobre colocar o Brique da Redenção na parte de pontos turísticos, mas acabei colocando aqui na parte de compras, pois foi lá onde eu fiz a festa e comprei mais coisas na viagem.

O Brique da Redençao é uma feira de artesanato e antiguidades que acontece aos domingos no bairro do Bom Fim desde 1978 e é considerada também um dos principais pontos turísticos da cidade.
Inicialmente, vendia apenas antiguidades e depois abriu espaço para artistas plásticos (que hoje são maioria no espaço).

As ruas ficam bem cheias e é lindo ver pais, filhos, adolescentes, jovens, senhores e senhoras, todo mundo interagindo naquele clima super familiar.


Começamos o tour no Brique pela ponta dos artesanatos e fomos caminhando em direção a parte das antiguidades, aí meus olhos começaram a brilhar, porque encontrei milhares de pratinhos e outros badulaques antigos maravilhosos exatamente como eu estava querendo pra renovar (renovar com coisa antiga/velha? Vamos reavaliar a coerência aqui, né, amigo...) a casa.

Ao todo, comprei 12 pratinhos só lá no Brique pra montar minha parede nova (já postei fotos dela no instagram mas vou fazer um post completinho mostrando minha sala antes e depois da mini reforma), além de um vaso/jarra, uma revista antiga e outras coisinhas que não me lembro por agora.

Tinha pratinho a partir de R$5. Eu garimpei um francês de pintado à mão de 1930 por R$40 e ele é o xodó da casa. <3


Sobre essa banca de vinil/vitrolas: pirei, mano!


Tinha xícara para todos os gostos, mas eu tô mais no momento pratinho mesmo...
Acabei não comprando nenhuma, só pires avulsos pra usar com as que já tinha em casa.

E essa banquinha de plantas?
Um senhor e uma senhorinha muito fofos que cuidam e vendem elas lá no brique.
Eles são tão fofinhos que dá vontade de abraçar.


No Brique também tem essa peça rara que é o sr. Freitas, um dos últimos/únicos fotógrafos de lambe-lambe de Porto Alegre (e do Brasil).
Ele tira fotos das pessoas com sua máquina-caixote igual a do sr. Madruga e conta um pouco da sua história e do ofício que desempenha ali na praça.

Eu não gosto muito de ser fotografado, mas o Sander achou tão lindo ver a máquina de perto que não resistiu e tirou uma foto pra guardar de recordação.

Onde fica: Avenida José Bonifácio, Bairro do Bom Fim (Parque Farroupilha)
Domingo, das 9h às 18h

Love It

A Love It é uma lojinha tão legal que já é considerada até ponto turístico também.
O repertório da loja é tipo incrível, tem muita coisa lúdica, colorida e muita porcelana lindona (LINDONA mesmo).
O único problema é que os preços das coisas não são tão acessíveis.

Mas vende Pip Studio e 4x WipFli e é isso que importa.
Eu comprei dois pratinhos lá pra guardar de recordação e decorar a casa.


Latinhas, vasinhos, papelaria e tudo mais que possa deixar um consumista bem perturbado. SOS


Nos fundos da loja também tem um café, que eu nem cheguei a conhecer direito, mas a Camila mostrou melhor lá no blog dela.

Onde fica: Avenida Mariland, 884. Moinhos de Vento.

Ponto de Antiguidades

Outra dica da Camilinha, o Ponto de Antiguidades é um antiquário maravilhoso que expões alguns de seus produtos no Brique da Redenção também.

Fui recepcionado pelos donos de lá, que já tinham me atendido no Brique no dia anterior -fomos ao antiquário na segunda-feira de manhã- e que são pessoas muito queridas: me deixaram super a vontade pra fuçar todos os cantinhos do antiquário, filmar e fotografar o que eu quisesse.
O espaço é dividido em várias partes/blocos (a cada nova parte que eu chegava, pirava mais um pouco) e tem um espaço verde nos fundos

Lá eu comprei mais pratinhos (porque não sou de ferro) e um quadrinho com cara de rococó que tá na minha parede de molduras agora.




Sander bem animadão escolhendo pratinhos comigo
Onde fica: Rua Padre Chagas, 200. Moinhos de Vento.
Segunda à sexta das 11h às 18h.

Além das fotos, fiz um vídeo com frames dos meus lugares preferidos, porque eu sempre acho que vídeo consegue mostrar de forma mais real que foto, por motivos óbvios. Rs.
Pra assistir é só dar o play aqui em baixo:



Deixando as considerações finais sobre Porto Alegre, ficamos pouquíssimo tempo na cidade, mas me apeguei e sinto saudades, rs.
Os gaúchos foram muito receptivos e calorosos com a gente, contaram-nos várias histórias legais e compartilhavam dicas o tempo inteiro, o que nos fez sentir que eles adoram receber turistas em sua cidade.

E você, já foi a Porto Alegre? Pretende ir um dia?
Tem alguma dica legal pra compartilhar da cidade?
Me conta na caixa de comentários aqui em baixo que eu vou adorar ler tudinho.

Bjs do Math e até logo!

Postar um comentário

Contact

Instagram

© Blog do Math
Design by The Basic Page